Hiperidrose-Axilar-Sudorese excessiva-Dr-Alexandre-Lima-Dermatologista-Belo-Horizonte-BH

Tratamento da Hiperidrose

O que é a hiperhidrose?

A hiperidrose é um problema relativamente comum, que provoca uma sudorese excessiva, acima das necessidade fisiológicas. A hiperidrose pode afetar até 2,8% da população.

Como a hiperidrose se manifesta?

Ela se manifesta através da transpiração excessiva e as áreas que são mais atingidas pela hiperidrose são:

  • Mãos
  • Planta dos pés
  • Axilas
  • Região inguinal e perineal.

Naqueles casos em que há acometimento dos pés, pode favorecer, inclusive, o desenvolvimento de micoses.

A Hiperidrose causa mal cheiro?

Na maioria parte das vezes, o suor não tem cheiro desagradável, mas a hiperidrose pode evoluir com quadros de bromidrose (odor desagradável), já que há proliferação de bactérias que utilizam os componentes do suor e restos de células como substrato alimentar.

Qual o impacto da hiperidrose?

Pessoas portadoras de hiperhidrose podem apresentar sofrimento e constrangimento intensos por causa do suor excessivo, e muitos enfrentam enormes dificuldades na vida profissional e pessoal, inclusive com risco de evoluir para um quadro depressivo.

A doença tem um impacto profundo na vida do paciente, e pode levar ao isolamento social e à depressão.

É possível tratar a hiperidrose?

“Embora a hiperhidrose atinja 176 milhões de pessoas no mundo e ofereça diversas possibilidades de tratamento – como injeções de toxina botulínica, iontoforese e medicamentos orais – a falta de informação ainda é um importante obstáculo a ser superado, pois a população em geral desconhece a doença.” (Sociedade Brasileira de Dermatologia)

Como tratar a hiperidrose?

Muitos casos podem ter sucesso até mesmo no tratamento com soluções tópicas. No entanto, vários casos podem ser conduzidos por meio do emprego da toxina botulínica, da iontoforese, da aspiração das glândulas e da cirurgia dos nervos (simpatectomia). Entenda um pouco mais sobre cada um deles:

  • Iontoforese – utiliza um aparelho elétrico (a bateria) que visa neutralizar as glândulas sudoríparas através de correntes iônicas. O paciente deve colocar o aparelho no local afetado (palma, planta ou axila) uma a duas vezes ao dia por tempo médio de 15 a 30 minutos.
  • Toxina botulínica – excelente método. Consiste em aplicar a toxina nos locais afetados, por meio de injeções. A toxina botulínica age bloqueando os estímulos nervosos para as glândulas.
  • Cirurgia dos nervos simpáticos (simpatectomia) – a cirurgia fica reservada para casos resistentes a outras formas de tratamento. Na simpatectomia é feito o corte de alguns nervos simpático para reduzir a atividade das glândulas sudoríparas.
  • Aspiração das glândulas – técnica cirúrgica para o tratamento da sudorese axilar excessiva. Que consiste em aspirar as glândulas através da pele.

Para um tratamento eficaz, é muito importante que você procure um dermatologista, ou um médico que tenha boa prática na aplicação de botox, pois como você pode notar, aquilo que parece simples, envolve um conhecimento muito específico da anatomia dos vários músculos envolvidos.

[youtube=”https://www.youtube.com/watch?v=lmwGFPOA0EI”]

 

 

 

Avalie essa publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *